segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Linha na pipa...

A diretora Financeira da Prefeitura, responsável pela Copel (Comissão de Preços e Licitações), pediu o boné.

Nestes dias bicudos, em que uma diretora ganha quase R$ 2.000,00 por mês, pedir demissão assim não é normal.  Simples especulação, mas será que ela viu ou sentiu alguma  coisa cabeluda por lá?

sábado, 23 de agosto de 2014

Vamos à luta...

Este Blog apóia para prefeito, nas eleições de 2018, a mui presente e encantadora Paula Tenório.
Quanto a Vanderlon, ele que busque uma vaguinha na Câmara, já que fez da política profissão...

Vamos à batalha...

Ontem, numa sessão extraordinária, os vereadores iriam sabatinar o novo secretário de Obras do Município, sobre os projetos do DADE relativos a esta administração.

Como o secretário parecia estar alheio ao tema, quem deu as respostas foi o prefeito Rafael da Silva, no conhecido tom peculiar dele: educadinho, mas pouco convincente.

Não sei o que se passa nas cabeças dos camaristas, porém, acredito que são impotentes a respeito desses projetos agora, mas poderão fazer carga pesada na hora das fiscalizações, se forem capazes e se tiverem "c" para isso.

Quanto ao novel secretário, ele já possui idade avançada; a idade da razão, ou ao contrário.Então, para se prestar a um cargo dessa importância em Salesópolis sempre fica alguma coisa no ar, remoendo, remoendo:
1- Ele é um "mula" do PR, um tapa-buraco dispensável?
2- Ele  tenciona  "levar algum por fora", a exemplo de muitos casos existentes em municípios outros?
3- Ele é uma boa alma, que quer doar seu tempo e sua capacidade para fazer algum bem para a cidade, e  até poderá doar seus honorários para a Santa Casa?
.................................
Nenhum vereador perguntou ao secretário, mas eu pergunto: V.Sª irá continuar a permitir a interferência do Vice-prefeito na Seção de Obras? 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Ganhou dentadura para gravar com Dilma...

Em agenda no Nordeste nesta quinta-feira, a presidente-candidata Dilma Rousseff visitou a cidade de Paulo Afonso, na Bahia. Gravou imagens para sua campanha na casa de Dona Nalvinha, moradora da Comunidade Batatinha e beneficiária do programa federal Água para Todos.

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo informa nesta sexta-feira que, antes de receber a presidente, Nalvinha, ou Marinalva Gomes Filha, de 46 anos, foi contemplada com uma prótese dentária. “Tudo o que tenho aqui foi a Dilma que me deu”, afirmou a baiana ao jornal – inclusive, a prótese dentária, segundo ela.
.......................
Lá, tem dentadura; aqui tem vale-leite... 

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Mera coincidência?...

Esta foto foi tirada hoje, na Av. Victor Wuo. A casa é residência de um empregado da empreiteira 3 Rios.
Será que aqui, nessa cidadezinha também, ele foi obrigado a assinar algum papel?

Por e-mail...

... Boa noite,

Naquela cidadezinha do interior, a melhor parte é saber que o funcionário "M" se mantém empregado, e que foi chamado ao gabinete pra ouvir as desculpas pessoalmente do prefeito. kkkkkkkk
Enquanto um resistir, ainda haverá esperança.

Grande abraço, ..."
............................
Ih! Acho que esse prefeito vai cumprir um longo jejum de cama com a primeiríssima...

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Voto de Cabresto...

Recebi a informação que numa cidadezinha do interior, a primeira-dama fez reunião com os cerca de 30 funcionários de uma empreiteira contratada pela Prefeitura, impondo que eles assinassem autorização para colocação em seus carros de placas e adesivos dos candidatos do PR, partido do mensaleiro Valdemar Costa Neto.

Mas aí, houve um funcionário, cujo nome começa com a inicial "M", que se indignou, que não achou certo estarem fazendo isso com eles e disse que não assinaria os papéis.
Foi quando recebeu a intimação de que se não assinasse seria demitido.

Nessa cidadezinha ainda funciona o Voto de Cabresto, puxado por uma nojenta primeira-dama....
........................
Quem mora nessa cidadezinha
não há de estar enganado:
Só vota em gente do PR
quem gosta de ser cavalgado. 

terça-feira, 19 de agosto de 2014

A sinistra do governo...

"Entre Salesópolis e Mogi das Cruzes, sete modernos radares foram instalados. Segundo se comentam, essas engenhocas são providas de tecnologia capaz de reconhecer placas de veículos que apresentarem débitos com a Fazenda Pública os notificando através do endereçamento constado nos órgãos competentes.

Encontram-se dispostos nessa ordem:
O primeiro é visto ainda na Av. Adhemar Bolina, em frente à Escola CMCI Dona Teresa Feital;
O segundo está no Km 82, junto ao Distrito de Nossa Senhora dos Remédios e próximo do acesso à escola Vereador Elisiário Pinto de Morais;(foto)"

Leia artigo completo AQUI
(cirodovalle.blogspot.com.br)

Em se plantando dá....

... ervas daninhas!

Até em muros...

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

A morte de Aécio Neves...

Com a morte de Eduardo Campos, morre também a candidatura de Aécio Neves. Imagine um segundo turno com Aécio e Dilma. O eleitorado de Marina vai votar no PT e Dilma será reeleita.

Imagine o outro cenário, Dilma e Marina no segundo turno. O PSDB não vai votar em Dilma. Vence Marina.

A eleição será entre o barro e a lama. O panorama é estarrecedor, como diria a presidente.
(Janer Cristaldo)
O ESPETÁCULO DA MORTE
Um texto de João Eichbaum

Botaram num palco os caixões fechados, onde se encontrava o que se supõe ser o que sobrou do Eduardo Campos e de seus assessores, mortos no acidente de avião.

Num palco, gente! Palco é coisa de espetáculo, palco não combina com velório!
Por que é que os corpos não foram velados numa igreja? Tinha que ser num palco?

Não. O palco não era para os mortos. O palco era para os vivos, para os vivíssimos, para os que vivem da coisa pública, do nosso dinheiro, do dinheiro do nosso trabalho.

E no palco estava um monte de gente. Além da Dilma e do Lula, estavam lá o senador Aécio Neves (MG),  Jaques Wagner (PT-BA), Agnelo Queiroz (PT-DF), Renato Casagrante (PSB-ES), Teotônio Vilela Filho (PSDB-AL), a ministra Ideli Salvatti (Direitos Humanos), o porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, os senadores Armando Monteiro (PTB-PE) e Eunício Oliveira (PMDB-CE).O pastor Everaldo, candidato à Presidência pelo PSC, a coordenadora do programa de governo de Marina, Neca Setúbal, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB) e o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), o governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), o ex-governador José Serra (PSDB-SP).

Esses são alguns, dos muitos políticos que lá estavam.
E a coisa chegou a tal ponto que um dos seguranças da Dilma pegou um microfone e pediu que aliviassem um pouco o ambiente, porque o palco poderia vir abaixo.

A Dilma e o Lula foram vaiados pelo povo, que não estava no palco, mas na plateia. Depois da vaia, os que estavam no palco começaram a aplaudir os mesmos que haviam sido vaiados. Então o povo acompanhou os aplausos.
É assim o povo: não vota, mas chora no velório, vaia e depois aplaude.

A letra do Samba do "Criolo Doido" é ficha pequena diante dessa realidade, em que a morte se transforma em espetáculo e o povo, que vaia e depois aplaude, mostra que é mesmo o bobo da corte.